Licenças Open Source

Uma das melhores coisas que já foram inventadas na nossa área de computação é o Open Source, mas quando e como devo usá-lo? Abaixo segue definição retirado do livro: Engenharia de Software / Ian Sommerville

A maioria das licenças open source derivam de um dos três modelos gerais:

A GNU General Public License (GPL). Essa é a chamada licença 'recíproca'; de forma simplista, significa que se você usar um software open source que esteja licenciado sob a licença GPL, você deve fazer um software open source.
A GNU Lesser General Public License (LGPL). Essa é uma variação da licença GPL, segundo a qual você pode escrever componentes que se ligam com código open source sem publicar a fonte desses componentes. No entanto, se você alterar o componente licenciado, você deve publicá-lo como open source.
A Berkley Standard Distribution (BSD). Essa é uma licença não recíproca, o que significa que você não é obrigado a republicar quaisquer alterações ou modificações feitas no código open source. Você pode incluir o código em sistemas proprietários que sejam vendidos. Se você usar componentes open source, deve reconhecer o criador original do código.
Questões de licenciamento são importante porque, se você usar o software open source como parte de um produto de software, você pode ser obrigado pelos termos da licença a fazer seu próprio produto como open source. Se você está tentando vender seu software, você pode querer mantê-lo em segredo. Isso significa que, em seu desenvolvimento, você pode querer evitar o uso de software open source licenciado sob GPL.

Referência: Engenharia de Software / Ian Sommerville ; tradução Ivan Bosnic e Kalinha G. de O. Gonçalves ; revisão técnicaKechi Hirama. – 9. ed. – São Paulo : Pearson Prentice Hall, 2011.

Link na Amazon